Hoje, quando saímos pra almoçar, eu e Felipe fomos questionados por um futuro pai. Ele queria saber quanto tempo de vida tinha a Siena, pra estar assim pirulitando na rua. Dissemos que ela tinha acabado de fazer 1 mês, e a mãe do cara, que estava ao seu lado, ficou assustada, disse que seu futuro neto só sairia com 3 meses (vale dizer que ela foi zero arrogante). A outra pergunta que ele me fez foi sobre as madrugadas, se estavam sendo muito difíceis pra mim. Disse que sua mulher estava querendo contratar uma enfermeira ou babá para ajudá-la nessas horas mais críticas.
A Siena sempre mamou de 3 em 3 horas ou menos. Desde que ela nasceu, essa virou minha referência. Dia, noite, tarde, madrugada, dá tudo no mesmo. Qualquer cochilo vai ter no máximo 3 horas e pouco. A nossa matemática é a seguinte: Siena mama às 21 horas. Até ela dormir, são pelo menos 30 minutos (ela tem que mamar, arrotar e pegar no sono e eu tenho que trocá-la antes ou depois) e mais 15 minutos pra eu conseguir dormir. Ou seja, vou dormir 00:45 e às 3 ela já vai tá chorando pra mamar de novo, no mais tardar às 4. Só eu posso (e amo, diga-se de passagem) alimentar essa coisinha. No caso, tudo que uma babá ou enfermeira poderia fazer seria trocá-la. Confesso que demorou 1 mês pra eu realmente me acostumar, no sentido de não achar um saco, com essa é a parte da rotina mãe-bebê. Acho que foi porque demorei a dominar a arte do não-colocar-a-fralda-errado-e-o-bebê-ficar-com-cocô-até-o-pescoço. Agora, tô até curtindo esse momento também. Mas mesmo nos tempos mais difíceis, contratar uma pessoa apenas pra trocar a neném não seria um capricho compatível com meu salário.
Foi isso que respondi: com ou sem babá, minhas madrugadas continuariam comprometidas pela fome de Sieninha. E pensei que mesmo quando acontece de relutar um pouquinho pra acordar às 3 da manhã, não é nada que dois minutos não resolvam. Só preciso disso pra voltar a estar nova e sem sono. Juro. Acho que a maternidade faz isso com a gente. Ela nos traz força, energia e saúde. Comentei outro dia com o Felipe como estava me sentindo saudável. Minha sensação é a de que uma gripe teria 0,0 chances contra mim no momento. E essa desenvoltura que adquiri pra viver normalmente de madrugada também é nova.
E nossas madrugadas não são apenas toleráveis, são quase uma delícia. Siena não dá trabalho algum. Só quer comer mesmo. Enquanto ela mama, eu dou um bom rolé no instagram (além das novidades da galera que eu sigo, naquela minha área aleatória de fotos de desconhecidos sempre aparecem lojinhas com roupinhas de bebê gringas e também bebês com síndrome de down, a maioria adotados, um assunto que tem me interessado muito.) e vejo bons programas inúteis. Taí uma vantagem de ser fã de programas toscos: A TV é cheinha desses nessa hora.
Fora quando a pequena tá com cólica.. isso acontece de vez em quando ali pelas 4 da manhã. Aí eu desisto do meu cochilo de 3 às 6, espero pra dormir mais tarde e vejo mais programa tosco enquanto a acalmo pra ela dormir no meu peito…

Anúncios